Apagão no Amapá

Sebrae e GEA apresentam pesquisa e ações para pequenos negócios impactados pelo apagão no Amapá

O objetivo da pesquisa é contribuir com ações que minimizem os impactos causados pelo apagão junto às empresas no estado.

Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Amapá (Sebrae) e Governo do Estado do Amapá apresentam Pesquisa Quantitativa, com amostra de 167 entrevistados, por meio de formulário on-line (Google forms), no período de 13 a 22 de novembro. A iniciativa visa contribuir com ações assertivas das instituições/entidades parceiras junto às empresas impactadas com o apagão no estado.

 

 

Coordenada pelo presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae no Amapá (CDE) e da Federação da Agricultura e Pecuária do estado do Amapá (Faeap), Iraçu Colares; governador do estado do Amapá, Waldez Góes; diretor-superintendente do Sebrae no Amapá, Waldeir Ribeiro; e pela diretora técnica do Sebrae no Amapá, Marciane Santo, secretários de estados; gerentes e técnicos do Sebrae, a pesquisa apresenta maior representatividade em 27% serviços de alimentação; 16% comércio varejista; 10% construção civil; e 23% em outras atividades econômicas.

 

Resultados

 

Sobre o funcionamento, atual das empresas, 43% estiveram funcionando no momento de crise do apagão; 38% funcionaram em parte; 91% tiveram diminuição no faturamento; 7% permaneceu igual; 41% perderam clientes; 13% produtos perecíveis estragados; 12% equipamentos queimados e produtos perecíveis estragados; 10% equipamentos queimados; 51% não dimensionou o valor das perdas para o seu negócio; e 43% das empresas que dimensionaram o total de perdas, informaram a média entre R$ 5mil e R$ 50mil.

 

Dentre as medidas mais importantes, as três respostas mais citadas por 67 empresários, foi sobre redução das tarifas de águas e luz, 55 acesso as linhas de crédito e 45 auxílios temporário para subsistência do empresário e sua família.

 

Crédito

 

Para manter seu negócio/empresa em funcionamento, 53% precisará solicitar crédito; 37% ainda não sabe a finalidade do crédito; 19% reposição de estoque perdido; 60% dos empresários informaram que não será necessário fazer demissões para se manter no mercado.

 

 

Os resultados da pesquisa vêm sendo utilizados na elaboração dos Planos de Ações do Comitê de Crise do Apagão, que no Sebrae é composto pela equipe técnica da Unidade de Gestão Estratégica do Sebrae (UGE), Unidade de Atendimento Individual do Sebrae (UAI); Unidade de Soluções Inovadoras e Competitivas do Sebrae (Unic); Unidade de Atendimento Coletivo – Agronegócio e Indústria do Sebrae (UAC-Agrin); Unidade de Atendimento Coletivo – Comércio e Serviço do Sebrae (UAC-CS); Unidade de Políticas Públicas do Sebrae; Unidade de Marketing e Comunicação do Sebrae (UMC); Unidade de Educação Empreendedora do Sebrae (UEE); Unidade de Administração e Finanças do Sebrae (UAF); Unidade de Assessoria Jurídica do Sebrae (Uasjur); Assessoria da Diretoria Técnica do Sebrae (Asditec) e Assessoria do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae (Ascde); entre os colaboradores estão, Márcia Marinho Branco, Célia Almeida, Denise Nunes, Maria Inês Barbosa, Cássio Sousa, Nilda Oliveira, Conceição Mira, Larissa Queiroz, Mayara Fernanda dos Santos, Bruno Castro, Isana Alencar e Sandra Gomes.

 

A apresentação da Pesquisa Qualitativa junto as Micro e Pequenas Empresas (MPEs) e o e o Plano Estratégico de Ação com parceiros, para minimizar os impactos econômicos causados pelo apagão no estado, ocorreu no Palácio do Setentrião, Sede do Governo do Estado do Amapá, na última terça (17), às 17h.

 

 

Serviço:

Sebrae no Amapá

Unidade de Marketing e Comunicação: (96)3312-2832

Central de Relacionamento: 0800 570 0800

Agência de Notícias: www.ap.agenciasebrae.com.br

Blog: www.sebraeap.blogspot.com.br

Portal Sebrae: www.ap.sebrae.com.br

Twitter: @sebraeap

Facebook: @sebraeap

Instagram; @sebraeap

Tags: Pequenos Negócios